Hugo Novaes (Foto: Divulgação)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a depressão atinge um em cada cinco adolescentes de até 18 anos e é a segunda maior causa de morte entre a faixa etária de 15 à 29 anos. Os dados são alarmantes e somando esta informação à campanha mundial de conscientização e prevenção ao suicídio “Setembro Amarelo”, Hugo Novaes, conhecido como Poeta Digital, desenvolveu seu projeto “Depressão não rima com coração”, usando a arte para salvar vidas. 

Uma pesquisa desenvolvida na Universidade de Exeter, no Reino Unido, descobriu que a poesia atua na parte do cérebro responsável pela memória e pelos sentimentos. Embasado nesta informação, o foco do projeto é este, despertar sentimentos positivos nos jovens espectadores. Hugo conta que a proposta é ministrar palestras que tratem com arte e leveza um assunto tão pesado: “Tocar a alma, provocar empatia, conversar sobre os contextos causadores da doença”, tudo isso em poemas que evoquem amor-próprio e autoestima, durante cerca de 50 minutos de apresentação que prometem prender a atenção através do dinamismo. 

Inicialmente, as palestras são projetadas para escolas e universidades, onde encontra-se maior concentração do público-alvo. Porém o poeta pretende ir além e levar para outros lugares, combatendo a depressão ao máximo. 

O objetivo é salvar pessoas: “Se conseguirmos salvar uma só vida, já não conseguiríamos medir a importância do projeto, imagina salvar várias delas”, almeja Hugo. 

A poesia vem com todo o embasamento científico necessário para curar. O psicólogo Leonardo Pedrosa, idealizador do canal Psicologia Em Um Minuto, foi como um alicerce no desenvolvimento do projeto, dando a base para a arte de Hugo. Diante da seriedade do tema, Leonardo se prontificou a dar todo o suporte para que não houvessem arestas. 

Hugo Novaes (Foto: Divulgação)

Com quase 200 mil seguidores no Instagram com o projeto 1tema1minuto1poema e várias participações em programas de TV, Hugo Novaes traz a poesia de forma leve e criativa, sem rodeios.

O poeta ganhou o prêmio Oscar Alagoano – destaque como artista da cultura da região, premiação esta que o rendeu também uma indicação para ocupar uma cadeira na Academia Alagoana de Cultura e outra na Academia Maceioense de Letras.