'Jangada': obra que faz parte da exposição na Galeria Evandro Carneiro Arte. Foto: divulgação

Boa parte das obras que Djanira criou em seu apartamento no bairro carioca de Santa Teresa, onde morou com o marido, o historiador baiano José Shaw da Motta e Silva, o Mottinha, foi doada ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA). Alguns trabalhos, no entanto, permaneceram na casa, em posse de Rachel Trompowsky Taulois da Motta e Silva, vizinha e amiga de longa data da artista que viria a se casar com Mottinha após a morte dela (1979). Vinte telas a óleo e desenhos que pertencem a este acervo vão a exposição na Galeria Evandro Carneiro Arte, na Gávea, a partir de sábado (14). 

No trabalho da artista, religiosidade coexiste com cenas e paisagens brasileiras, jangadas, colheitas de mandioca e café, trabalhadores carvoeiros e mineiros. O retrato de Mottinha, considerado seu grande amor, naturezas mortas, animais e anjos são alguns dos temas expostos nas telas e desenhos. A mostra tem como proposta fazer uma síntese de sua produção, na qual o público poderá ver ainda obras inéditas, como conta Evandro Carneiro, que também conviveu longamente com a pintora, nascida em Avaré, São Paulo, em 1914.

No fim da década de 1930, já morando na capital carioca, Djanira abre uma pensão em Santa Teresa e passa a conviver com artistas que eram clientes, como Carlos Scliar, Milton Dacosta, Árpád Szenes e Maria Helena Vieira da Silva. Não tardou para que a pintora expusesse pela primeira vez, em 1942, durante o 48º Salão Nacional de Belas Artes. A partir daí, faria sua primeira individual, no ano seguinte, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI). Em 1945, viaja para Nova York, onde conhece a obra de Pieter Bruegel e entra em contato com Fernand Léger, Joan Miró e Marc Chagall. Em pouco tempo, ela se consolidaria como uma das mais importantes representantes do modernismo brasileiro. 

'Santa Luzia'. Foto: divulgação

SERVIÇO 

Djanira

Local: Galeria Evandro Carneiro Arte:  Rua Marquês de São Vicente, 124 (Shopping Gávea Trade Center). Telefone: (21) 2227.6894

Período: de 14 de julho a 11 de agosto.

Visitação: de segunda a sábado, das 10h às 19h.