Casa Branca terá reforma 'mais por necessidade do que cosmética', diz um porta-voz da residência oficial da presidência da República

Agosto é o período em que a Casa Branca costuma passa por manutenções para aproveitar o período das férias presidenciais. Desta vez, a residência oficial e local de trabalho do presidente dos Estados Unidos vai passar por uma grande reforma, "massiva, mais por necessidade do que 'cosmética'", como garantiu um porta-voz da Casa Branca em entrevista à revista "Town & Country". A previsão é de que a obra se estenda de sexta (4) até o próximo dia 20. 

O trabalho, que será conduzido pela Administração de Serviços Gerais (GSA), inclui, entre seus pontos, correções de rachaduras das escadas que conduzem do Gramado Sul até a Casa Branca, não reformadas há 64 anos; atualização da infraestrutura elétrica do exterior da construção; atualização do sistema de climatização, que é o mesmo há 27 anos; corrigir vazamentos na sala de imprensa na Ala Oeste; e renovar a cozinha atrelada ao salão de refeições Navy Mess, além nova pintura com cores mais atuais e troca de cortinas.   

O atual presidente dos EUA, Donald Trump, caminha pela Ala Oeste, que também sofrerá reformas

"Muitos dos sistemas existentes apresentam extrema necessidade de reparos e substituições, por isso esta renovação é tão crucial. As equipes da GSA vão trabalhar dia e noite para completar esses projetos. Eles estão se planejando para ter pessoas aqui 24 horas por dia durante sete dias por semana", reforça o porta-voz.  

Além disso, em um movimento que não é típico das renovações anuais, os funcionários da Ala Oeste que não seguirão em viagem com o presidente durante as férias está sendo realocado no Eisenhower Executive Office, prédio anexo à Casa Branca. As obras na Ala Oeste foram aprovadas durante a administração de Obama e  fazem parte da segunda fase de uma renovação não finalizada em 2012.  

Obras no Pórtico Sul da Casa Branca no ano de 1952