Mansão de Bruce Willis e Emma Heming está à venda por US$ 33 milhões

Quarta-feira 24 Abril 2019 / Comportamento

Mansão está localizada na ilha privativa de Parrot Cay, em Turks & Caicos, nos Estados Unidos. (Foto: Divulgação)

O ator Bruce Willis e sua mulher Emma Heming colocaram a mansão em que moram, na Costa Leste dos Estados Unidos, à venda por US$ 33 milhões. 

A propriedade está localizada na ilha privativa de Parrot Cay, em Turks & Caicos, e possui 28 mil metros quadrados de área, casa principal com cinco quartos e duas casas de hóspedes com três quartos, além de 14 banheiros, incluindo um chuveiro escondido e ao ar livre. A apenas 390 metros da praia, o local também possui piscina e quadra de vôlei de areia.

Se a mansão for vendida pelos US$33 milhões, este será o valor recorde da região. De acordo com o Wall Street Journal, a maior quantia paga por uma residência nas proximidades foi US$27,5 milhões.

Casa fica a 390m da praia da região.  (Foto: Divulgação)

Residência possui cinco quartos principais.  (Foto: Divulgação)

A propriedade tem 28 mil metros quadrados de área.  (Foto: Divulgação)

Por: REDAÇÃO DELOOX

Suíte assinada por Damien Hirst tem diária de US$100 mil em Las Vegas

Segunda-feira 15 Abril 2019 / Comportamento

Suíte assinada por Damien Hirst. (Foto: Palms Casino Resort)

Depois de uma reforma que consumiu US$ 690 milhões, o Palms Casino Resort, em Las Vegas, ganhou uma suíte artsy assinada pelo polêmico britânico Damien Hirst, que tem diária de nada menos que US$ 100 mil. Batizada de "Suíte da Empatia", o apartamento de dois andares nasce com vocação para festas, com capacidade para 52 ocupantes, que podem confortavelmente usar o lounge e o amplo bar para confraternizar.

Obras do artista estão por todos os lados, algumas um tanto excêntricas, como os tubarões suspensos em formol, e muitas outras de grandes proporções, distribuídas pelos 836 metros quadrados do espaço. A suíte tem dois quartos principais e uma piscina ao ar livre com vista para a Las Vegas Strip, além de salas de massagem, sala fitness, de relaxamento e um terraço. Serviço de mordomo 24 horas, serviço de chauffeur e um guia particular para conduzir um tour pelas obras de Hirst.

Bar da suíte. (Foto: Palms Casino Resort)

A suíte possui 2.300m² (Foto: Palms Casino Resort)

Tubarões no formol. (Foto: Palms Casino Resort)

A sala é decorada com obras do artista. (Foto: Palms Casino Resort)

A piscina também possui obras de Damien Hirst. (Foto: Palms Casino Resort)

Por: REDAÇÃO DELOOX

Park Bel Air está à venda!

Quarta-feira 10 Abril 2019 / Comportamento

Park Bel Air é localizada em um terreno de 4,2 hectares, em Los Angeles.

A cobiçada Park Bel Air, uma das residências mais caras dos Estados Unidos, está à venda por US$150 milhões.

Localizada em um terreno de 4,2 hectares, em Los Angeles, e situada em frente ao renomado Hotel Bel Air, a residência levou duas décadas para ser construída. 

O ar que circula na residência chega a ser rarefeito.

O novo proprietário será contemplado com vista panorâmica do Oceano Pacífico, da Ilha Catalina e do Oeste de Los Angeles, e favorecido pela privacidade, segurança e flexibilidade, no ponto mais alto de Bel Air.

De acordo com o jornal "Los Angeles Time", Bel Air, bairro onde está o imóvel, foi originalmente imaginado como uma "comunidade de propriedades cavalheirescas" pelo magnata do petróleo e promotor imobiliário Alphonzo Edward Bell. Alfred Hitchcock, Elizabeth Taylor, Beyoncé, Jay-Z e Jennifer Aniston já tiveram casas na região.

Os interessados na propriedade devem entrar em contato com a Douglas Elliman / Knight Frank Residential através do site da Park Bel Air.

Por: REDAÇÃO DELOOX

Tony Nogueira: nova aposta de Liège Monteiro e Luiz Fernando Coutinho estreia na TV

Terça-feira 09 Abril 2019 / Comportamento

Luiz Fernando Coutinho, Tony Nogueira e Liège Monteiro. Foto: Chiara Martelotta

Os RPs e empresários Liège Monteiro e Luiz Fernando Coutinho são conhecidos por andar sempre muito bem acompanhados, geralmente por medalhões do universo da TV e do teatro que lotam os eventos que comandam. Recentemente, eles têm circulado com muita frequência em trio, ao lado do jovem ator, cantor, compositor e músico Tony Nogueira, de 23 anos, colecionador de tantos predicativos que, à primeira vista, aguçou o faro para o sucesso da dupla e acaba de virar uma das apostas da Globo para o ano. 

"Conhecemos o Tony no lançamento do musical do Wolf Maya 'Relaxa que é sexo' em São Paulo. Era um elenco de 20 atores, ele era o protagonista, cantava e atuava. Nos chamou muito a atenção pelo carisma, é o tipo de pessoa em que você bate o olho e fixa, tem vontade de prestar atenção no que ele está fazendo. Tem muita estrela", lembra Luiz Fernando.

A estreia do ator como Cauã em "Malhação - Toda Forma de Amar", no dia 16 deste mês, é resultado de um trabalho de mais de um ano, conduzido pela dupla, com o mais novo global e que não se limita à atuação: a música, que Tony considera sua primeira paixão, também faz parte do pacote. 

"Ele usava Antonio Nogueira como nome artístico, nós achamos que ia funcionar mais como Tony e mudamos. Ele não tinha Instagram, não fazia shows. Chegamos até ele para empresariá-lo como ator, mas ele foi dizendo logo de cara: 'Eu adoro atuar, mas sou cantor. E tenho várias composições'. Começou a nos mostrar umas músicas, gostamos muitdo do timbre de voz dele, que é bastante diferenciado, e batemos o martelo, iniciando um trabalho de formiguinha", explica Luiz.

Ator, compositor, cantor e músico faz seu primeiro papel na TV, em 'Malhação'. Foto: Chiara Martelotta

Além da voz marcante, frequentemente comparada à de Renato Russo, Tony parece mesmo ter todas as características necessárias para garantir que os espectadores não desviem a atenção da tela. Louro, com 1,84m de altura, aquele "olhar 43" - expressão que, inclusive, batizada uma música de um de seus grandes ídolos, Paulo Ricardo -, com habilidade no piano - instrumento que toca desde os 7 anos -, no violão e na guitarra, ele participou de uma oficina de atores na emissora com a preparadora Duda Maia e, agora, colhe os frutos de sua performance.  

"Estou muito feliz em estrear na TV em 'Malhação'. É uma novela que dialoga com o público jovem, o mesmo público que assiste aos meus shows. Agradeço ao autor, Emanuel Jacobina, ao diretor, Adriano Melo, e ao Silvio de Abreu por me escalarem. Na história, o Cauã vai fazer ciúmes ao Filipe, personagem do Pedro Novaes, com a Martinha (Beatriz Damini). Estou gostando bastante dessa nova experiência", comenta o ator, nascido em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.  

Liège Monteiro comemora a mentoria, já que para ela é uma oportunidade de voltar a trabalhar diretamente com música, o que acabou deixando de lado por conta da agenda lotada de atividades de RP e assessoria de imprensa. Para quem não sabe, ela foi a primeira empresária de Bebel Glberto, além de Baby do Brasil, e já trabalhou com Marina Lima e Marisa Monte.

"Eu trabalhava com Nelsinho Motta na época, mas sempre com pessoas que estavam começando, como a Bebel, fui empresária dela, rodamos todo o Brasil. Todo mundo dizia que ela era rebelde, mas, não, era super obediente. Eu permitia que ela fizesse o que quisesse, contanto que, pela manhã, estivesse no lobby do hotel pontualmente para participar da coletiva de imprensa", recorda Liège.  

Liège Monteiro foi a primeira empresário de Bebel Gilberto. Foto de arquivo

Se depender da qualidade da orientação, as chances de Tony transitar entre a tela e o palco com sucesso são altas. 

"Eu tinha certeza que a Bebel ia estourar. Assim como tinha certeza absoluta da Marisa (Monte), sabia que ela era genial, sempre foi, desde o começo. É o mesmo que está acontecendo com o Tony. Quando o vi pela primeira vez na peça do Wolf, eu disse 'esse cara é um bom ator', eu não tive dúvida. Na música também: ele é barítono, o que é raro, canta bem, ele está a fim e gosta disso", diz Liège. 

Segundo o casal, Tony tem feito direitinho o dever de casa e, para somar, ainda tira proveito do DNA musical da família. Conta que herdou o gosto pela música da mãe, a advogada e musicoterapeuta Cristina Cury, de essência roqueira, e a dedicação aos instrumentos da avó pianista.   

"Minha mãe sempre escutou muito rock e tudo o que eu ouvia quando estava com ela ia depois pesquisar na internet. Ela deu o start no meu gosto pelo estilo e eu fui fuçar nas ramificações, ver o que tinha de bandas das mesmas épocas, fui descobrindo", conta o compositor, que contabiliza em sua lista de favoritos ícones como The Doors, Janes Joplin, Rolling Stones, Nirvana, Queen, Pink Floyd, Pearl Jam, Dire Straits, RPM, Cazuza e Legião Urbana. 

Tony herdou a veia roqueira da mãe. Foto: divulgação/Eny Miranda

Por: REDAÇÃO DELOOX

Steve Jobs tem a assinatura mais valiosa do mundo. Entenda!

Segunda-feira 10 Dezembro 2018 / Comportamento

Steve Jobs era avesso a dar autógrafos, um dos motivos que impulsionam o valor de mercado de sua assinatura. Foto: divulgação

Steve Jobs, o fundador da Apple, sempre foi conhecido por sua resistência a dar autógrafos aos fãs. Ele costumava justificar sua atitude dizendo que a companhia era resultado de um trabalho de equipe. Sua relutância é um dos motivos que colaboram para a assinatura de Jobs ser considerada a mais valiosa do mundo, segundo um guia que acompanha os valores dos autógrafos mais disputados.

A Paul Fraser Collectibles, do Reino Unido, estima, em seu Índice de Autógrafos 2018, que o de Jobs vale mais de US$ 50 mil, tornando-se o número 1 do ranking. Vale mais que o de qualquer integrante vivo ou morto dos Beatles e ainda mais caro que o de Stephen Hawking, morto em março deste ano.      

"Steve Jobs e as assinaturas de Stephen Hawking são incrivelmente raras", escreveu Daniel Wade, da PFC.

O executivo explica o cenário atual do mercado no segmento. 

"Durante anos, os baby boomers dirigiram os preços dos autógrafos. Agora, estamos começando a ver a influência das crianças dos anos 80 e 90. Eles são os que cresceram com Kurt Cobain em sua parede, que se lembram de quando JK Rowling publicou o primeiro livro de Harry Potter e que assistiram Steve Jobs revelar o iPod original em 2001. Eles são agora adultos assalariados, começando a ficar com saudades de sua juventude e a querer ter um pedaço dela", complementa Wade.

Autógrafo do fundador da Apple: sempre em letras minúsculas. Foto: divulgação

O autógrafo de Jobs, geralmente visto todo em letras minúsculas, foi a assinatura com melhor desempenho nos 18 anos de publicação do Índice. Teve seu valor aumentado em mais de 27% desde 2000 e 14% no último ano, segundo o índice.

Um livro assinado por Hawking vale mais de US$ 38 mil, segundo o índice. Assinaturas de James Dean, Bruce Lee e Marilyn Monroe no ano passado ficaram em metade desse valor.

O autógrafo mais valioso entre os vivos é o do músico Paul McCartney, também conhecido por ser avesso à prática. Está avaliado em US$ 3.700.

Por: REDAÇÃO DELOOX