Chef Celinha Miranda promove bazar em prol da ONG Instituto Ierê

Quarta-feira 11 Dezembro 2019 / Comportamento

Celinha Miranda (Foto: Divulgação)

A chef Celinha Miranda vai promover bazar em prol da ONG Instituto Ierê, com apoio da Associação Filantrópica de Barra Bonita, neste sábado (14), a partir das 9h. O evento reúne roupas, bijuterias, calçados e acessórios diversos.

O Bazar da Celinha acontece na rua Ludovico Victório, 1491, no Salão da Associação Filantrópica de Barra Bonita, em Vila Narcisa. Os pagamentos podem ser realizados em dinheiro, cartão de crédito e débito.

Por: REDAÇÃO DELOOX

Patrizia D'Angello abre exposição 'Jardim do Éden' no Museu da República

Terça-feira 10 Dezembro 2019 / Comportamento

Patrizia D´Angello - Jardim do Éden 2019. Óleo sobre linho (196cmX162cm)

No sábado (14), a Galeria do Lago, no Museu da República, inaugura a exposição “Jardim do Éden”, da artista Patrizia D’Angello, com curadoria de Isabel Portella. A exposição apresenta 25 pinturas recentes e inéditas e o conceito foi pensado a partir dos muitos banquetes realizados no Palácio do Catete, sede do Governo Federal entre 1896 e 1960 e que hoje abriga o Museu da República. 

“Numa narrativa bem humorada, mas repleta de sutis paralelos, a artista se debruça sobre os grandes temas da pintura figurativa, o retrato, a paisagem e a natureza morta. Em seus trabalhos, Patrizia procura discutir os limites do real, da mímesis e as implicações no mundo contemporâneo”, afirma a curadora Isabel Portella. 

Para realizar a exposição, a artista mergulhou no acervo do Museu, em documentos relacionados ao tema, como uma bela coleção de convites e menus das muitas recepções ocorridas ali, bem como fotos, vasos, pratarias, sancas e mobiliário pertencentes ao Palácio do Catete, que aparecem nas obras mesclados a seu repertório poético.

Patrizia D'Angello - Relato Selvagem, 2019. Óleo sobre linho (92cmX85cm)

De família italiana, Patrizia D’Angello cresceu rodeada por encontros em volta da mesa, com comida farta. Para ela, “comer junto é uma maneira de se compartilhar afeto”. Desta forma, seu trabalho sempre esteve atravessado pela comida, que, em suas naturezas mortas, ganham outras camadas de sentido. Movida por um humor dionisíaco e tendo como norte a Pop Art e a Tropicália, os trabalhos de Patrizia D’Angello estão sempre reverberando questões do feminino/feminismo. Em uma operação ambivalente de afirmação e crítica, a artista desloca sentidos e, com humor, joga luz sobre a pretensa “normalidade” do  patriarcado e suas práticas predatórias. “A abordagem desse espaço tão representativo do poder, do patriarcado, da ordem vigente, se dá através do campo relegado desde sempre ao domínio das mulheres, a cozinha, a mesa, a decoração, o enfeite, o bordado, o doce, o belo... Um universo, segundo essa lógica dominante, menor, secundário, fútil e frívolo, por isso mesmo entregue de bom grado às mãos que vieram pra servir”, ressalta a artista. 

Patrizia D'Angello - Chá Colonial, 2019. Óleo sobre linho (26cmX30cm)

A grande pintura “Jardim do Éden”, que dá nome à exposição, retrata um piquenique realizado sobre uma canga com a imagem da famosa pintura do renascimento, “O nascimento da Vênus”, de Sandro Botticelli (Itália, 1445 - 1510). “Também queria falar da área externa do museu, do lindo parque e dos convescotes que ali aconteceram no passado de forma reservada e que seguem acontecendo hoje com o espaço convertido em museu, de forma pública e democrática”, explica a artista, que em suas pesquisas encontrou imagens da família de Pereira Passos (1836-1913), prefeito do então Distrito Federal entre 1902 e 1906, nos jardins do Palácio do Catete. 

A imagem da Vênus de Botticelli, uma das tantas idealizações da mulher presentes na História da Arte, serve de leito para um piquenique, onde, junto ao seu peito, repousa uma faca e sobre seu corpo é servida a comida. O trabalho se chama Jardim do Éden e, a um só tempo, a artista relaciona a idealização, a objetificação, a exploração e toda uma narrativa milenar escrita por homens sobre o que foi e qual deve ser o papel da mulher.

Patrizia D'Angello - La Vie en Rose, 2015. Óleo sobre tela (40cmX60cm)

O pensamento crítico aparece sempre de forma sutil, quando a sobreposição do título à imagem produz um ruído desconsertante. “O título dos trabalhos é parte indissociável da obra, pois é através do deslocamento de sentido engendradado nessa operação de nomear que desenvolvo a narrativa que me interessa explorar”, conta Patrizia D’Angello. Muitas vezes, os nomes das obras remetem a questões que não estão retratadas diretamente na pintura. Um exemplo disso é a obra “Canavial”, com a imagem de um açucareiro de prata. A figura bonita, que remete à riqueza, é quebrada com a lembrança do título, que imediatamente remete à exploração e à escravidão. No entanto, tudo é feito de forma leve, quase imperceptível e, a um primeiro olhar, o que se vê são belas e sedutoras imagens. “Se o feminismo, a sensualidade erótico-sensorial, o patriarcado, a exploração são questões que interessam à artista explorar, ela o faz com humor, numa crítica que expõe engrenagens perversas e desnuda atitudes machistas, sem perder a doçura”, afirma a curadora Isabel Portella.

“Retrato mulheres insurgentes e empoderadas a debochar desse mundo constituído sob valores alheios e desfavoráveis, piqueniques, mesas, comidas, doces, vasos e ornamentos onde tudo parece estar onde deveria estar exceto pelo fato de que essa afirmação resvala numa bem humorada crítica”, diz a artista.

Patrizia D'Angello - Lambança, 2016. Óleo sobre linho (132cmX165cm)

 

Leia mais: Christie's leiloa obras de grandes artistas da antiguidade e do século XX

Por: REDAÇÃO DELOOX

Festa Noon comemora oito anos com evento na Casa França-Brasil

Segunda-feira 09 Dezembro 2019 / Comportamento

Foto: Divulgação

Uma das festas mais tradicionais da música eletrônica, a Noon, vai comemorar oito anos de vida com edição especial na histórica Casa França-Brasil, no sábado (14). “A trajetória da Noon faz parte da cena do Rio e a nossa jornada de boa música e experiências incríveis está apenas no começo, afinal estamos a caminho do número 8, que representa o infinito”, Afirma Marian Meirelles, uma das produtoras e idealizadora da festa.

Nas carrapetas, a grande estrela é o alemão Steve Bug, um dos artistas mais reverenciados da cena house e techno mundial, à frente de uma das mais renomadas gravadoras do mercado - a Poker Flat, responsável por lançar artistas do gabarito de Trentemøller, Martin Landsky, entre muitos outros.

Sempre atrás do groove perfeito, Steve é produtor e suas músicas estão constantemente nos cases dos principais artistas do gênero. Seu último álbum, "Paradise Sold", foi lançado em 2018 com elogios. Além de Steve, um time de brasileiros de peso também promete incendiar a pista da Casa França-Brasil. Entre eles, a dupla carioca formado pelos anfitriões da Noon, o casal de DJs Flow & Zeo, que repete a dobradinha do Rock in Rio com a vocalista Maria-Anna, a Catarinense Blancah, com suas produções melódias e profundas, o paulista Wehbba, que atualmente residente em Barcelona e frequentemente alcança os top charts com suas produções techno, o fluminense Pinaud, inserindo instrumentos em suas apresentações como DJ, o produtor carioca Vicente Amadeo, com seu projeto “Art in Motion”, além do Catarinense e co-fundador da marca Seas, Nezello.

O belo casarão vai contar ainda com a exposição "Espaço em Si", com curadoria de Marina Ribas e o projeto 2020 e convidados. “As obras ocuparão a sala black, teremos uma performance no salão principal, além de esculturas de mármore e outras obras produzidas em tecido na varanda”, afirma Marina. “O line up e as intervenções artísticas para essa celebração foram pensadas cuidadosamente para uma imersão total durante as 12 horas de evento. Vai ser um experiência marcante para o público”, afirma Zeo.

Foto: Divulgação

Por: REDAÇÃO DELOOX

Fasano inaugura sua primeira unidade na América do Norte

Sexta-feira 06 Dezembro 2019 / Comportamento

Fasano Ipanema (Foto: Detecta Hotel) Via Veja

A empresa JHSF vai inaugurar sua primeira unidade do Fasano na América do Norte, em janeiro de 2020. O local escolhido foi Nova York, nos Estados Unidos.

Localizado na Quinta Avenida e com vista para o Central Park, o empreendimento vai oferecer unidades residenciais privadas e apartamentos vendidos no modelo de copropriedade.

Esta será a segunda aposta internacional da marca. O Uruguai já possui um edifício do Fasano, em Punta del Este. 

Fifth Avenue - Central Park (Foto: Urbana Properties)

(Via Veja)

 

Leia mais: Gucci se prepara para abrir restaurantes nos Estados Unidos

Por: REDAÇÃO DELOOX

Manuscritos dos sucessos de Elton John podem render US$ 1 mi em leilão

Quarta-feira 04 Dezembro 2019 / Comportamento

Elton John (Foto: Divulgação)

Um conjunto de letras manuscritas de alguns dos sucessos mais famosos de Elton John estará disponível para venda, em breve. A seleção inclui canções como "Goodbye Yellow Brick Road", "Candle In The Wind" e "Bennie and the Jets" e tem o valor estimado em US$ 1 milhão.

A coleção exclusiva vem do acervo pessoal de Maxine Feibelman Taupin, ex-esposa de Bernie Taupin, compositor inglês e colaborador de longa data de John. As peças foram escritas por seu ex-namorado, com uma delas escritas pelo próprio John. 

Os itens estarão disponíveis para compra no dia 9 de dezembro, através da Bonhams, casa de leilões londrina dedicada à venda de obras de arte e objetos antigos, em Los Angeles.

Letra de 'Goodbye Yellow Brick Road' (Foto: Barrons)

 

Veja mais: Chopard revela linha inspirada em seu primeiro relógio de aço

Por: REDAÇÃO DELOOX